Senador pede que STF investigue Bolsonaro por ligar vacina a AIDS

Bolsonaro
Jair Bolsonaro pode ser investigado pelo STF. Foto: AFP

A CPI da Covid recebeu um requerimento do senador Alessandro Vieira (Cidadania) para que seja levado ao ministro Alexandre de Moraes a mais nova fake news de Bolsonaro. O presidente associou o imunizante contra o coronavírus ao risco de contrair HIV. O magistrado do STF é quem tem cuidado do inquérito das Fake News.

Segundo informações do UOL, o desejo do senador é que o ministro analise “conduta potencialmente criminosa” do chefe do Executivo. “Como cobrar do cidadão comum o indispensável cumprimento das determinações legais se o presidente não o faz?”, indagou Alessandro Vieira. “A consequência, como sabemos, é o aumento do número de infectados, doentes e mortos”, acrescentou.

No documento, Alessandro falou que, caso Bolsonaro não fosse presidente, já teria sido preso. Isto porque continua persistindo em cometer infrações na pandemia.

Leia mais: 

1 – Militares sob a mira de Mendonça: como AGU puniu soldados e sargentos que enfrentaram o governo

2 – Com febre alta, bolsonarista Roberto Jefferson é internado em hospital de presídio

3 – Google pede que Allan dos Santos seja condenado por litigância de má-fé

Bolsonaro e a fake news da AIDS

Na quinta (21), o governante resolveu espalhar mais uma mentira sobre vacinação contra Covid-19. Se inspirando em site conspiracionista, o presidente disse que pessoas imunizadas com 2 doses estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS) muito mais rápido do que o previsto.

O Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido afirma que a publicação é de um site que propaga ‘fake news’ e teorias da conspiração e diz que a história não é verdadeira.

Zahraa Vindhani, oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, também afirma que “as vacinas contra a Covid-19 não causam Aids”. “A Aids é causada pelo HIV.”