Bolsonaro é representado na PGR por usar crianças para promover armas

Bolsonaro com fuzil
Bolsonaro segura fuzil de brinquedo ao lado de criança vestida de militar – Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro se tornou alvo de uma representação na PGR por utilizar meninas e meninos menores de idade para promover seu discurso pró-armamento da população.

O pedido de investigação foi protocolado pelo deputado distrital Fábio Felix (PSOL). O parlamentar cita uma das cerimônias de comemoração dos mil dias do governo, em Belo Horizonte (MG). Na ocasião, Bolsonaro segurou um fuzil de brinquedo ao lado de uma criança vestida de militar.

Felix também relembra a ocasião em que, durante campanha em 2018, Bolsonaro simulou o formato de uma arma na mão de uma criança.

“A submissão da criança a uma situação de subserviência a um comportamento bélico e com estímulo à cultura da guerra a priva da formação de suas próprias ideias e valores voltados ao espírito de entendimento e ao convívio harmônico e democrático com outros indivíduos, gerando prejuízos psicológicos e morais ao seu desenvolvimento”, escreve.

Leia também:

1; Kim Kataguiri é detonado nas redes após associar a série “Round 6” ao socialismo

2; Malafaia volta a pressionar Ciro Nogueira por apoio a André Mendonça no STF

3; VÍDEO: Padilha fala do taxista que lhe perguntou sobre o Mais Médicos e a verdadeira escravidão

ONU condena Bolsonaro

O Comitê da ONU dos Direitos da Criança condenou o episódio. O Brasil é signatário da Convenção sobre o Direito das Crianças e do Protocolo Opcional da mesma sobre o envolvimento de crianças em conflitos. Isso, teoricamente, proíbe a exposição dos pequenos em atividades relacionadas a conflitos bélicos. Com informações do Metrópoles.

“O comitê condena com veemência o uso de crianças pelo presidente Bolsonaro, vestidas com trajes militares e com o que parece ser uma arma de fogo, para promover sua agenda política, mais recentemente em 30 de setembro de 2021”, criticou a instituição.