Essencial do DCM: Bolsonaristas planejam morte de Alexandre de Moraes; a conexão Allan dos Santos/Eduardo Bolsonaro

O essencial
Bolsonaristas planejam morte de Alexandre de Moraes; a conexão Allan dos Santos/Eduardo Bolsonaro – Thumb/DCM

Alexandre de Moraes e Allan dos Santos são o assunto. AO VIVO. Kiko Nogueira analisa as últimas notícias e conversa com o jornalista Bruno Versolato.

Leia também:

1- Com presença de Pazuello, faculdade do Ministério Público fez seminário em favor do “tratamento precoce”

2- Michelle Bolsonaro aparece vestida de palhaça em lançamento de campanha do Governo

3- Kalil vive momento mais difícil na prefeitura de BH e sofre ameaça de impeachment

Morte de Moraes

Alexandre de Moraes determinou a prisão de Allan dos Santos e bolsonaristas ficaram revoltados. Ao longo desta quinta (21), muitos se manifestaram no grupo do Telegram do Terça Livre. E um grupo de apoiadores de Bolsonaro planejou o assassinato do ministro do STF.

“Bora fazer uma vakinha pra contratar um maluco pra matar o Alexandre e o Barroso. Quem topa?”, escreveu um internauta identificado como Breno Henrique. Ele ainda seguiu revoltado. “Se eu tivesse a grana do véio da Havan, mandava uns 8 matadores de aluguel passar os ministros do STF. É a única solução”, acrescentou.

Monique Damares seguiu a mesma linha que Breno. “Vamos invadir aquele prostíbulo. Arrancar eles a pancadaria. Não dá mais gente”, postou.

Vale ressaltar que o dono do Terça Livre é integrante do “gabinete do ódio”, que tem como um dos líderes Carlos Bolsonaro. O grupo é conhecido por “assassinar” reputações nas redes sociais. E também incentivar crimes contra opositores.

Allan dos Santos e Eduardo Bolsonaro ligados a invasão do Capitólio

Um dos motivos para a Polícia Federal pedir a prisão de Allan dos Santos a Alexandre de Moraes é a conexão dele com a invasão do Capitólio nos EUA em 6 de janeiro por seguidores de Trump.

A investigação cita como prova a participação do delinquente no programa que Jonathan Owen Shroyer mantém no InfoWars, canal de fake news.

Segundo a PF, Allan usou sua participação para “reiterar e reverberar, dessa vez em solo americano, a difusão de teorias conspiratórias voltadas a desacreditar sistema eleitoral brasileiro, instituições e/ou pessoas”.

O extremista terá o nome incluído na lista de procurados pela Interpol. Será preso e extraditado para o Brasil. 

O que está sendo ignorado, por ora, é a relação ainda mais próxima de Eduardo Bolsonaro com a tentativa de golpe em Washington. 

Moraes está mandando um aviso: o próximo a ir em cana tem o sobrenome do presidente.

Confira abaixo: