VÍDEO: Renan chama Bolsonaro de “serial killer que tem compulsão pela morte”

Renan Calheiros de máscara
Renan Calheiros fala com jornalistas no Senado.
Foto: Reprodução

Em entrevista coletiva antes da última sessão da CPI da Covid, o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), chamou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de “serial killer”.

Ele comentou a declaração do mandatário associando a vacinação à Aids. Nesta terça-feira (26), a comissão aprovou um requerimento pedindo a responsabilização de Bolsonaro pela fala.

Leia também:

1 – Relação de Bolsonaro com Centrão está por um fio

2 – O que diz a carta do pastor que enganou multidão sobre ressuscitar no 3º dia

3 – Carrefour: Gerente que humilhou vendedor é afastada

Ao falar sobre os responsáveis pela situação do Brasil na pandemia, Renan afirmou:

“Essa responsabilidade é de muita gente, tem muitos indiciados. Mas ela é principalmente desse presidente da República, desse serial killer que tem compulsão pela morte e continua a repetir tudo o que fez anteriormente.”

“Agora com a declaração de que a vacina pode proporcionar Aids, ele demonstra claramente que não tem respeito nenhum pela vida dos brasileiros”, disse o senador.

Veja abaixo:

VÍDEO: Bolsonaro mente para ‘consertar’ a fake news sobre vacina causar Aids

Após dizer, na live de quinta-feira (21), que as vacinas contra a Covid-19 causam Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) contou outra mentira, nesta segunda-feira (25), para tentar se justificar.

O presidente disse ontem que havia visto a informação em uma matéria da revista Exame. No entanto, a reportagem citada por ele não contém a afirmação absurda que o ocupante do Planalto fez na live.

Assista, no final da página, ao vídeo de Bolsonaro mentindo para “justificar” a mentira anterior.

O texto que ele tinha lido na live, na verdade, é de um site chamado Before It’s News, um notório divulgador de notícias falsas, como essa tentando atribuir vacinas à HIV.

A live em que o presidente do Brasil divulgou essa fake news foi retirada do ar pelo Facebook. A rede social disse que “não permite alegações de que as vacinas de Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas”.

Assista ao vídeo abaixo.

Acompanhe a CPI ao vivo:

Participe de nosso grupo no WhatsApp clicando neste link

Para entrar em nosso canal no Telegram, clique neste link