João Gordo: “Cocaína potencializava todo o mal que o Chorão tinha”

De Leonardo Rodrigues no UOL.

Tema de painel da CCXP, sobre o documentário Chorão Marginal Alado, o vocalista do Charlie Brown Jr. se revelou de diversas formas e histórias no evento que contou com participações do diretor Felipe Novaes, do roteirista Hugo Prata e dos ex-MTV Edgar, Sarah e João Gordo, que viveram momentos íntimos com o músico.

(…)

“Chorei muito quando ele morreu. E no dia resolvi fazer um baseado desse tamanho, um tabaco de baseado, e saí de carro para passar em frente ao prédio dele. Isso cheio de polícia, TV e fã, e eu fumando um pra homenagear o cara”, lembrou Gordo.

“Ele era muito amor e ódio. Você tinha que falar bem da banda dele. Se fosse amigo, você tinha tudo. Se fosse inimigo, não tinha nada. Ele era muito louco. Cheirava pra caralho (…) A cocaína potencializa o ódio. O pouco de mal caráter que ele tinha multiplicava por algo gigantesco”.

Entre os casos de Chorão revelados no painel também está o do episódio em que ele bateu em adolescente na fila do supermercado ao perceber que ele estava comprando um CD do grupo Rouge e de quando ele ligou para apresentadora Sarah pedindo para se retratar ao vivo na MTV após agredir Marcelo Camelo, dos Los Hermanos, em um aeroporto.

(…)

Categorias
DestaqueGente
Pedro Zambarda de Araujo

Escritor, jornalista e blogueiro. Autor dos projetos Drops de Jogos e Geração Gamer, que cobrem jogos digitais feitos no Brasil e globalmente. Teve passagem pelo site da revista Exame e pelo site TechTudo. E-mail: [email protected]

Relacionado por