Perfis antivacinas espalham absurdos nas redes com surto de Sarampo

Prevenção da doenças como sarampo é feita por meio de vacina (Reprodução/Veja SP)

Ricardo Chapola na Veja São Paulo informa que, enquanto o poder público faz barulho pelas ruas para incentivar a população a se vacinar contra o sarampo em São Paulo, um movimento trabalha na internet para demonizar o uso de vacinas na prevenção de doenças. As tentativas de catequizar novos adeptos à corrente antivacinação acontece em meio à explosão em SP no número de casos de sarampo, doença altamente contagiosa. Segundo o balanço mais recente divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado nesta terça-feira (30), 633 pessoas pegaram sarampo em 2019 em São Paulo, sendo que 76% (484) delas ficaram doentes na capital.

De acordo com a publicação, em dois grupos antivacina (ou antivax) no Facebook, cerca de 8 000 pessoas trocam vídeos, reportagens e artigos ditos científicos para defender que as vacinas, na verdade, devem ser tratadas como “veneno” e que “têm capacidade de matar seres humanos”. Administrador da página “VACINAS: O maior CRIME da história!”, o empreendedor autônomo de Belo Horizonte Jorge Aramuni contou a VEJA SÃO PAULO que criou esse canal “para ajudar as pessoas”. Com segundo grau completo, Aramuni concedeu uma entrevista de mais de uma hora, citando uma série de frases que afirma ter tirado de livros e artigos em inglês que lê desde os anos 1990, quando começou a estudar esse tema.

Nesta segunda-feira (29) à noite, o Facebook tirou a página que Aramuni administrava do ar. Quando foi desativada, o perfil tinha cerca de 6 000 seguidores. Inconformado com a notícia, Aramuni ligou para a reportagem: “Estão tentando calar quem está tentando falar a verdade. Vou entrar com um processo na Justiça contra o Facebook por ter tomado essa atitude arbitrária”, diz Aramuni. Nesta terça-feira (30), o empreendedor postou um vídeo de 19 minutos em seu perfil pessoal da rede social para manifestar indignação, completa o site.

Categorias
Destaque
Pedro Zambarda de Araujo

Escritor, jornalista e blogueiro. Autor dos projetos Drops de Jogos e Geração Gamer, que cobrem jogos digitais feitos no Brasil e globalmente. Teve passagem pelo site da revista Exame e pelo site TechTudo.

Relacionado por